Último voo do Mirage no Brasil


O último modelo MIRAGE-2000-C (modernizado) que ainda conseguia voar no Brasil, decolou pela última vez na base aérea de Anapolis (GO) as 10h42 de 31 de dezembro de 2013 rumo ao Museu Aeroespacial da Força Aérea no Rio de Janeiro onde ficará guardada como peça de museu. O piloto que teve a honra de dar o último adeus foi o capitão Augusto Ramalho de 33 anos.


O Mirage 2000-C era a aeronave mais potente do país, em 2005 compramos 12 unidades que seriam desativadas na França e as usamos por cerca de 10,6 mil horas de voo, elas deveriam ter sido aposentadas no Brasil em 2011, mas a última voou até o último dia de 2013. Foi uma compra tampão para substituir os obsoletos Mirage-III que usamos de 1973 até 2004, comprados quando eram a aeronave mais poderosa em uso na América-latina, mas também em desuso na França (que lançava o Mirage-200 na época, antecessor do Mirage-2000).

As poucas armas que restaram estão com prazo de validade vencido em 2013, e não há mais fabricação. Também não há mais peças de reposição disponíveis para manutenção das aeronaves. Tanto que as aeronaves foram “canibalizadas” segundo o Brigadeiro Juniti Saito, em audiência no Senado no dia 13 de agosto de 2013 representando a Aeronáutica. Com doze aeronaves conseguimos fazer manutenção e manter voando apenas 6, e no final do ano (2013) este número foi reduzido para apenas 1.

mirage 2000 - raio de operação

Segundo o Globo: “O comandante da base aérea de Anápolis, Sérgio Bastos, também piloto de caça, lembra que o Mirage completou sua tarefa na Aeronáutica ao permitir que pilotos e mecânicos aprendessem a lidar com novas tecnologias. A versão anterior do Mirage, o Mirage III, foi utilizada entre 1973 e 2004, e foi determinante na Guerra das Malvinas (1982), quando um avião cubano e outro inglês foram interceptados ao sobrevoarem sem autorização o país e obrigados a pousar.”

Com a aposentadoria do Mirage 2000, a base aérea de Anápolis (GO) deverá receber como novo tapa-buracos 6 unidades do caça F-5E vindos de de Canoas (RS), Rio de Janeiro e Manaus (AM). Isso representa uma redução na capacidade de defesa do espaço aéreo brasileiro, já que o F-5E não voa em “mach 2” e nem é adequado para fazer ataques aéreos, conforme declaração e tabela abaixo:

“O Brasil não está preparado para se defender. Os F-5 não são operativos em termos de combate aéreo para fazer frente a países como Bolívia, Peru e Paraguai. Internacionalmente, estamos mostrando fracasso. Quem não tem capacidade de defender a si próprio não pode participar do Conselho de Segurança da ONU”, acredita diretor do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais, Marcelo Suano. (reportagem da Globo)

mirage 2000 - comparação com o F-5E

“A FAB faz interceptações diárias de socorro de aviões com suspeita de pane e também de aviões que podem estar trazendo drogas e armas. Um caça é o diferencial nestas situações”, afirma o brigadeiro Quírico. (reportagem da Globo)

Os F-5 foram comprados pelo Brasil em sucessivos lotes desde 1974. 46 deles já passaram por um processo de modernização na Embraer desde 2000, ao custo de R$ 650 milhões. Desde 2011, outros 11 F-5, comprados usados da Jordânia, passam por um processo de modernização, que os garantirá em funcionamento por mais 15 anos.

Os F-5E deixarão de operar em 2017, todavia, apenas em 2018 está programada a entrega dos caças comprados da Suécia, o Gripen, que foi escolhido no início de dezembro pela presidente Dilma Rousseff como a nova aeronave de combate brasileira. Serão compradas 36 aeronaves ao custo de US$ 4,5 bilhões, incluíndo o processo de transferência de tecnologia.

Atualmente nosso único avião de combate aéreo é o AMX-A1, que possuímos 53 unidades fabricadas em parceria da Embraer/Aeritália/Aermacchi (BRA/ITA) na década de 80, que iniciaram o uso na década de 90 e que estão completamente sucateados, não conseguem voar sequer 1x a velocidade do som. Começaram a ser modernizados em setembro de 2013 e gradativamente estão sendo postos em atividade novamente. Mas são muito mais fracos do que os aviões do Chile, Peru, Venezuela, Argentina e outros vizinhos.

Veja o quadro que explica quem é o Gripen que compramos e quais são nossas outras aeronaves:

mirage 2000 - substituído por gripen mirage 2000 - cards dos caças do brasil

Fontes:

[1] http://g1.globo.com/brasil/noticia/2013/12/caca-mirage-2000-faz-ultimo-voo-e-e-aposentado-pela-fab.html em 01 de janeiro de 2014

[2] http://g1.globo.com/brasil/noticia/2013/08/sem-novo-aviao-fab-canibaliza-6-cacas-para-manter-voos-em-2013.html em 01 de janeiro de 2014

[3] http://pt.wikipedia.org/wiki/AMX_International_AMX em 01 de janeiro de 2014

[4] http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2008/08/f-2000c-a.jpg em 03 de janeiro de 2014

[5] http://www.areamilitar.net/analise/analise.aspx?NrMateria=13  em 03 de janeiro de 2014

———-

Link Permanente: http://wp.me/p1URSu-Ux

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s